Ser Sócio

No dia 13 de abril as atividades de florestação da ATNatureza foram transmitidas no canal público RTP2 no programa Biosfera;

Como salvar as serras do deserto?

(a partir dos 19 minutos)

como slavar as serras do deserto

 

Assista ao programa e conheça novas tecnologias inovadoras e promissoras para o florestamento em áreas semiáridas.

Nos últimos 20 anos, tivemos vários problemas no que diz respeito ao florestamento e observamos que quase todas as bolotas em germinação morreram. Isto deve-se principalmente a dois factores: alterações climáticas e um solo muito pobre. O verão na Faia Brava é prolongado e com pouca chuva. Além disso, o solo de granito ácido quase não tem matéria orgânica, portanto, no caso de não chover, a água desaparece rapidamente na superfície do solo. No fim do verão, os pequenos carvalhos com as suas pequenas raízes morrem por falta de água. Foi aí que surgiu a necessidade de uma nova abordagem da nossa parte. Os “cocoons” que estamos a utilizar, têm um recipiente para água e, graças ao seu design, o orvalho da manhã é capturado e aproveitado assim como alguma água das chuvas. A previsão é que até ao mês de setembro o recipiente esteja ainda com água. Outra vantagem que iremos ter com o uso destes coccons é que perto da pequena árvore não irá existir competição por nutrientes o que irá garantir uma maior taxa de sucesso de sobrevivência. Assim, com os coccons biodegradáveis, ajudamos pequenos carvalhos a sobreviver aos dois primeiros verões. Após os primeiros anos, as árvores em crescimento oferecem um habitat para muitas espécies. Com o tempo, estas parcelas cercadas de 0,25ha irão se expandir para uma área mosaico de 1 ha. Desta forma, pode-se dizer que 0,25ha de árvores autóctones plantadas irão criar uma paisagem em mosaico de 5ha. Esperamos assim transformar a paisagem existente de 120.000 hectares no vale do Côa numa paisagem em mosaico, trazendo de volta o sistema agro-silvopastoril multifuncional também denominado Montado ou Dehesa.

Se você está interessado nessas novas tecnologias, entre em contato com a Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Celular: +351 966 299 552

A ATNatureza com o objetivo de restaurar o ecossistema, plantou 500 árvores em parcelas de 0,25 ha espalhadas pela paisagem da Reserva da Faia Brava, numa ação de reflorestamento controlado.

Partilhando a nossa visão de que, os investimentos ligados à compensação da pegada de carbono, fazem sentido numa componente de realização de projectos e ações práticas que contribuam para a biodiversidade, a empresa de consultoria holandesa Wing (www.wing.nl) decidiu cooperar connosco durante os próximos dois anos em ações de reflorestamento e sequestro de carbono.

Deste modo e apenas com uma parcela de 0,25ha, a empresa Wing conseguiu compensar 50 toneladas da sua produção de CO2 (estimativa conservadora).

A Wing pagará € 50 por tonelada de CO2 sequestrada e receberá:

  • Um certificado de compensação de CO2;
  • Referência no site ATNatureza das emissões compensadas de CO2 da Wing em 2021;
  • Visita guiada de um grupo (máximo 4 pessoas em viatura ou qualquer número a pé) na Reserva da Faia Brava em 2021 ou 2022

A ATNatureza será responsável de acompanhar as parcelas reflorestadas. O estatuto de Área Privada Protegida (APP) da Reserva da Faia Brava, garante a proteção da floresta a longo prazo. Com o apoio de empresas como a Wing, poderemos criar mais parcelas de florestamento.

Gostaria de compensar a sua produção de CO2? Por favor, entre em contato connosco.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Telemóvel +351 914678375

Uma equipa da Universidade de Aveiro esteve recentemente na Faia Brava a realizar trabalho de campo no âmbito do projeto rWILD-COA "Desafios e oportunidades ecológicas no processo de renaturalização do Vale do Côa". O projeto é composto por uma equipa multidisciplinar e internacional que contempla instituições académicas (Universidade de Aveiro, Universidade Politécnica de Madrid, Universidade Autónoma de Barcelona) e associações ligadas à conservação e gestão dos recurs

os naturais, entre as quais a Associação Transumância e Natureza e a Associação Rewilding Iberia. A Faia Brava, localizada no Vale do Côa, constituirá um importante laboratório natural, onde será testado e quantificado o papel dos ungulados como “engenheiros de ecossistemas”. O objetivo é explorar como é que a ação dos ungulados influencia a composição e estrutura dos habitats, a riqueza e diversidade de espécies e os ciclos geoquímicos do solo. No que respeita à riqueza de espécies, um dos grupos estudados são os micromamíferos, pela sua importância trófica e pelo seu papel como bioindicadores. Na Faia Brava está a proceder-se a uma amostragem sistemática no sentido de perceber como é que diferentes densidades de ungulados influenciam a comunidade de micromamíferos e diferentes parâmetros físicos destas espécies.

Crocidura russula

Mus spretusApodemus sylvaticus

Ações de reflorestação têm sido realizadas na Área de Proteção Privada Faia Brava desde a sua criação em 2010, como objetivo  principal de restauro ecológico.

Os problemas quetêm afectado  o reduzido sucesso das ações de florestação  anteriores são  a fraca  qualidade do solo, a seca, o impacto dos animais domésticos e selvagens.  Dessa forma a percentagem de sobrevivência nas plantações de árvores na  Faia Brava é em média cerca de 10% após o primeiro ano.

Para aumentar a taxa de sobrevivência das árvores, resolvemos experimentar um novo método de plantação de árvores!

Vão ser plantados  4 pequenos lotes de floresta (0,25ha) com materiais e técnicas de última geração e esperamos estabelecer árvores que promovam a  biodiversidade e que  se tornem bancos de sementes vivos. A primeira dessas áreas experimentais  foi concluída no passado mês de Novembro de 2020.

O modelo atual de plantação foi sugerido por Ronald Buiting, da Buiting Advies, empresa holandesa fundada em 1992, com projetos de restauração em vários  países. O tipo e a distribuição das novas árvores na plantação foi projetada para imitar a estrutura de uma floresta madura. A parcela experimental deve integrar visualmente a paisagem circundante e promover uma maturação mais rápida de algumas árvores.

Os principais princípios que se aplicam são o uso de espécies nativas, plantio em subgrupos (eco-unidades), o uso de formas naturais para as eco-unidades e uma variação projetada de densidades de árvores em diferentes eco-unidades.

A redução do stress hídrico é conseguida por irrigação direta ou pelo uso de recipientes individuais de água, as  caixa de água da Land Life Company. Esta tecnologia foi proposta pela  Buiting Advies e cerca de metade de todas as árvores plantadas tem uma  caixa de água individual reutilizável ou caixa de água biodegradável ​​de cartão.

Todos os buracos para as árvores foram feitos com uma broca mecânica que cria mais espaço para o desenvolvimento das raízes e permite que as caixas de água sejam parcialmente enterradas. Isso protege as caixas de água de plástico da degradação por UV e ajuda a regular a temperatura na base das árvores jovens. Também cria um espaço para juntar estrume maduro no solo, antes da plantação.

A contribuição final para promover uma  maior taxa de sucesso foi a inoculação de uma mistura de micorrizas  ( mistura comercial de fungos pioneiros nativos da Ecovit) nas raízes de todos os carvalhos que irá contribuir para que as plantas estabeleçam uma relação simbiótica com fungos pioneiros aumentando a sua capacidade de absorção de água, proteção contra os ataques de fungos patogénicos  garantindo  uma baixa mortalidade na plantação, melhor nutrição e uma proteção geral contra o stress ambiental.

Este trabalho experimental será monitorizado nos próximos anos e desta forma esperamos obter mais conhecimento e capacidade para criar uma floresta mais numerosa e resiliente.

Caso esteja interessado em saber mais sobre este projeto poderá solicitar uma visita técnica a uma parcela experimental.

planting trees

   drill and tractor

 

O trabalho da ATNatureza foi recolhecido pela "Cooperation Organisation for Vocational Education, Training and the Labour Market (SBB)"resultando na nova acreditação para pertencer à lista de entidades Portuguesas acreditadas para receber e acompanhar estagiários Holandeses do ensino profissional.

O reconhecimento resulta de vários anos de experiência da equipa técnica da ATNatureza a receber os estagiários originários de diferentes instituições Holandesas proporcionando planos de estágios desafiantes que contribuem para o enriquecimento profissional e pessoal.

A integração com a comunidade local é também um dos pontos fortes deste programa de estágios resultando numa relação afectiva e duradoura que se estabelece com a ATNatureza.

students at pigeonn house

Dutch students at pigeon house Faia Brava, watching vultures